Visita Técnica - Espaço do Conhecimento UFMG

03/03/2018
08:00

Visita Técnica - Espaço do Conhecimento UFMG

A EXPOSIÇÃO EXPEDIÇÃO ANTÁRTICA (BELEZAS E CURIOSIDADES DO CONTINENTE MAIS GELADO DA TERRA), leva o visitante para além dos grandes blocos de gelo, um cenário inigualável se revela: o céu azul e o mar revolto compõem belos visuais de um dos pontos mais extremos da Terra. É um engano pensar que a Antártica só abriga pinguins e alguns poucos pesquisadores, que ousam pisar naquelas terras gélidas, com média de temperatura de -10º Celsius no verão. O continente ao extremo sul do planeta é um território de potencial exploração, com rotas que levam a condições extremas, mas que também podem revolucionar o pensamento humano sobre a Terra.

A exposição foi desenvolvida em conjunto com as equipes dos projetos de pesquisa da UFMG, que realizam estudos de biologia, arqueologia e medicina polar, respectivamente.

Há três décadas em viagens pelo continente mais frio do mundo, alguns pesquisadores da UFMG voltaram o olhar para as escalas microscópicas: vive ali uma comunidade enorme de fungos que pode, por exemplo, auxiliar na produção de medicamentos. Outros estudam vestígios das primeiras ocupações humanas no continente. Já os médicos e educadores físicos monitoram os parâmetros fisiológicos do corpo e do seu esforço nas condições extremas da Antártica e os aspectos psicológicos de quem habita um espaço vasto e isolado do resto do mundo.

A chegada à exposição já cria uma cena inesperada: a entrada por um túnel revela as dificuldades de se chegar à Antártica, que só é acessível por avião ou navio. Por esse espaço estreito, o visitante começa a perceber como é a experiência de estar no Polo Sul. A temperatura baixa e o excesso de branco do gelo promovem a sensação do frio extremo e da imensidão de um lugar pouco explorado.

A mostra está configurada no formato de um mapa expandido da Antártica, em que o público participa ativamente da expedição. Cápsulas sensoriais simulam as condições extremas: o vento forte, a dificuldade de andar na neve e a escuridão que se perpetua por seis meses no ano nas áreas mais continentais.

O Planetário completa essa visita pelo continente gelado com uma sessão imersiva que mostra imagens produzidas durante expedições científicas.

O Espaço do Conhecimento UFMG é um espaço cultural diferenciado, que conjuga cultura, ciência e arte simultaneamente. Sua missão não se limita à difusão do conhecimento científico, mas também à produção de diversos saberes, trabalhando no sentido de propor linguagens que combinam, inovam e fruem conteúdos, de forma lúdica. Sendo assim, nossos alunos vivenciarão:

 

- A AVENTURA DO CONHECIMENTO HUMANO

Demasiado Humano ocupa três andares do Espaço do Conhecimento UFMG. Exibição principal do museu, trata da origem da vida, evolução e trajetória humana. É dividida em três módulos – O AlephOrigens e Vertentes.

O trabalho é resultado de pesquisas realizadas na UFMG em diferentes áreas do conhecimento: astrofísica, paleontologia, genética, arqueologia, antropologia, literatura, linguística, história e ecologia.

 

- 2º Andar - Exposição: Expedição Antártica

- 3º Andar - VERTENTES: Geografia Humana; Cosmogonias e Cosmologias; Fábrica da Letra; Mercatu Mundi; Flora Mundializada; Os Nomes e os Lugares; Diversidade Linguística.

- 4º Andar - ORIGENS: Extratos do Tempo; Origem da Vida; Paisagens Geológicas / Pangeia; A Era dos Grandes Mamíferos; Árvore da Vida; Pré-história Humana; O Homem de Lagoa Santa; Similaridade Genética; Diversidade Humana; Objetos Arqueológicos; Montalvânia.

- 5º Andar - ALEPH

 

- Da Janela Lateral - Baseada na música de Lô Borges e Fernando Brant, Paisagem na Janela, a mostra encheu a escada do Espaço do Conhecimento UFMG de janelas culturais. Nos cinco andares, o visitante pode apreciar as influências artísticas do Clube da Esquina, movimento mineiro que revolucionou a musicalidade brasileira na década de 1970.

 

- Terraço Astronômico - O céu também pode ser tratado como patrimônio natural e cultural. Essa é a ideia central da exposição O céu como Patrimônio.

A exposição foi estruturada em três partes: CéuPatrimônio Natural e Patrimônio Cultural e pode ser vista no Terraço Astronômico do Espaço.

IMG-20180303-WA0060.jpg